Casa comigo? Eu sei que faço tudo errado, mais eu vou tentar melhorar. Casa comigo? Eu não sei fazer quase nada na cozinha, mais aprendo a fazes suas comidas preferidas só pra fazer pra ti. Casa comigo? Eu acordo de madrugada só pra vê se você ta coberto, e se tiver doente viro sua enfermeira particular. Casa comigo? Meu guarda roupa e uma bagunça, e tudo embolado, fora do cabide, mais eu aprendo a arrumar, e deixar espaço pras suas roupas. Casa comigo? Eu vou aprender suas manias, o que gosto e o que não gosta. Suas musicas que gosta, suas roupas preferidas. Casa comigo? Vamos ver filmes domingo à tarde, ter dois filhos e um peixinho. E se não quiser o peixinho a gente compra um cacto que e preciso aguar só umas vezes no mês, e se morrer ninguém vai se sentir culpado. Casa comigo? Me deixa ser sua mulher, sua pequena. Casa comigo? Deixa eu tentar te fazer feliz do jeito que você me faz? Casa comigo? Pra ficar a vida inteira do meu lado, ate a gente tiver com o cabelo todo branco.
Casa comigo?  (via infinita-obsessao)
Desta vez vai ser tudo diferente. Eu não vou ligar para o que vão dizer. Não vou responder as pessoas, aquelas pessoas que fingem se importar. Não vou deixar eu me abater com as coisas mínimas. E não vou tentar dar amor à aquele que faz questão de não receber. Vou sair de perto quando me ignorarem. E não vou dizer mais nada quando começarem a discutir comigo. Vou me levantar quando me derrubarem… O tempo foi passando, e todas as vezes eu dizia “desta vez vai ser tudo diferente”.
O suicídio da avenida principal. (via revejo)
"Você não deve machucar quem você ama", até parece. Me falam isso como se fosse a coisa mais simples do mundo. Não tem jeito. Uma hora ou outra, sempre machucamos as pessoas que amamos. E não é por querer, fazemos isso sem ver, só caímos na real depois. E em certos casos, um pedido de desculpas não é o suficiente.
Alemanha, 1995.    (via rejeitei)
Certos namorados brigam dia sim, dia não. Na sexta se amam, no sábado se odeiam, no domingo fazem as pazes, na segunda prometem nunca mais se ver. São amores movido à adrenalina, que rendem bons versos e letras de música. Muito destes casais conseguem chegar ao altar e continuam entre tapas e beijos até as bodas de ouro. Brigam e voltam tantas, mas tantas vezes, que na verdade nunca chegam a se separar. Deixe que digam, que pensem, que falem. O amor é lindo.
Martha Medeiros.  (via se-eu-pudesse)
O melhor lugar do mundo nunca foi um lugar.
Eu me chamo Antônio. (via odeiorotulos)

To precisando de colo, de atenção, daquelas palavrinhas clichês.

Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.
Caio Fernando Abreu (via garotaesuasfases)
1/2300
© THEME BY CDS